quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Tempo da espera

Tempo. Palavra que nos remete a tantos caminhos. E assim a tantas (in)certezas como na dúvida: o que o tempo faz com a gente? O que dizer daquele telefonema que a gente espera e ele nunca chega? E o dia daquela viagem que tanto planejamos? E uma festa que passamos meses programando para o tal "grande dia"? E a chegada de um amigo que não vemos há anos? Por um outro caminho podemos nos perguntar outras coisas... Por que a viagem acabou tão rápido? E a festa que foi tão curta? Ah, o final de semana foi pouco para amenizar a saudade do amigo que mora tão longe... O tempo está ai à medida que o relógio do dia corre. O tempo está dentro de nós e esse é o mais angustiante deles, pois somos nós quem delimitamos o que fazer, o que escolher e para onde ir. Já perceberam que quanto mais tempo livre nós temos menos coisas nós fazemos? Vem junto a isso a sensação de que existe um dia pela frente, uma vida pela frente. Quantos de vocês já se pegaram adiando coisas para um futuro? Sim, há sempre a espera, há sempre o sentimento de que podemos deixar para amanhã. Deixamos para amanhã também a percepção de que queremos mudar? Mudança é futuro ou presente? Como na linda música "eu tenho o tempo do mundo eu tenho o mundo a fora". E assim a inversão da questão: o que a gente faz com o tempo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário