sexta-feira, 8 de abril de 2011

Ser ou não ser?

Recebi um comentário anônimo em uma das minhas postagens com perguntas bem interessantes. Somos influência do meio em que vivemos ou influenciamos o meio? Como o homem deve se portar sendo autor de sua própria história? Resumir nesse espaço resposta a tais perguntas é tarefa impossível. Mas isso me fez pensar em algumas coisas.

O homem como um ser-no-mundo aberto às possibilidades ele ao mesmo tempo influencia e é influenciado pelo ambiente em que está. Se somos-com-os-outros então reagimos de acordo com o que nos chega do meio. E onde fica nosso direito de escolha? Mas é da possibilidade e impossibilidade que nasce a escolha. Somos livres para atuar de acordo com nosso desejo, com os limites já comentados aqui nesse blog, mas podemos escolher se saimos de A e vamos em direção a B. Podemos escolher qual a hora de fazer essa ponte e se queremos fazer a ligação e mudança. Cada um tem um tempo de maturação, de envolvimento e de necessidade em mudar. Somos enquanto indivíduo e desta forma a subjetividade nos move. Qual o sentido da nossa mudança? Para onde queremos ir? Por que largar A e ir em direção a B?

Somos os protagonistas, autores e atores da própria história. Queremos sempre ser ouvidos em nossas particularidades, sem generalizações; pois somos únicos. Temos esse direito. Mas em muitas vezes precisamos expor nossas dúvidas, nossos medos e assim sair do conforto. Cada um sabe o seu tempo, o seu momento de olhar a si mesmo e se perguntar: o que eu quero de mim; e o que eu espero de mim?

Um comentário:

  1. Grande Serginho. Parabens pelo Blog e por esse texto. Travaremos alguns dialogos aqui...
    Nao me convem as respostas que ouvimos das religioes ou da sociedade ou mesmo de nos mesmos. Nao me convem estoria nenhuma de MAome, Cristo ou Ghandi. Me convem apenas unica e exclusivamente que, a duvida e a respostas que quero pois me faz fazer as perguntas devidas. Respostas? Soh aquilo que me convem.

    Forte Abraco!
    Ingo

    ResponderExcluir