quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O sim e o não

Boa reflexão é pensar sobre o que se torna mais essencial na educação da criança: valores ou limites. O limite vem do exemplo / modelo que a criança vê em casa. E, a princípio, a criança faz tudo por imitação. O pai que faz pequenos delitos éticos na frente dos filhos, ou em momentos levando vantagens, ou humilhando pessoas de classe social inferior, enfim... Isso tudo é o reflexo da criação dos futuros jovens. Acho que cada vez mais a família deixa de dizer "não" ao seu filho com medo de magoá-lo ou até como recompensa pela culpa de trabalharem muito e terem pouco tempo livre para os filhos. É uma teia complexa. E quando se diz "não" a pessoa tem que parar e explicar o porquê do não. Nesse tempo em que parar é um absurdo educar pelo "sim" passa a ser a estratégia imediata de se ver livre do problema.

Valores são importantes, mas não vejo dissociado do limite. É tudo parte da mesma relação. A cultura, a forma ética como os pais vivem e se apresentam socialmente indica o quanto e a forma de limite que eles passarão aos seus filhos. A criança precisa vivenciar o fato de que não poderá tudo, de que há coisas que não são possíveis. É parte da vida saber abrir mão de sonhos e se lançar a novos sonhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário