domingo, 7 de novembro de 2010

Ansiedade, angústia e medo

“A ansiedade é definida como estado de humor desconfortável, apreensão negativa em relação ao futuro, inquietação interna desagradável. Inclui manifestações somáticas e fisiológicas e também psíquicas.” (Dalgalarondo, 2008)

“Angústia relaciona-se diretamente à sensação de aperto no peito e na garganta, de compressão e sufocamento. Tem conotação mais corporal e mais relacionada ao passado.” (Dalgalarondo, 2008)

“Fala-se em medo quando se percebe um perigo específico, e em ansiedade quando o perigo tem um caráter menos definido.” (Cabrera; Junior, 2006)

A diferença da ansiedade para o medo é que o medo é sempre sobre alguma coisa real. Por exemplo, uma pessoa que tem medo de elevador. O elevador é um objeto real. Uma pessoa pode ter medo de elevador, mas ao chegar a um prédio não se recusa a enfrentar o medo, sente-se desconfortável, mas encara. Outra pessoa não consegue e prefere subir de escadas ou nem ir a andares altos. A intensidade do medo, o fato de não ter razão objetiva e realidade concreta e acompanhada de sintomas físicos é que definirá se é ou não medo patológico.

2 comentários:

  1. Poderia por favor me dizer onde encontro essa citação: “Fala-se em medo quando se percebe um perigo específico, e em ansiedade quando o perigo tem um caráter menos definido.” (Cabrera; Junior, 2006). Seria um artigo... Desde já agradeço!
    andreiagrace@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, já faz um tempo que eu li esse material, é quase certo que a referência é de artigo mas não encontrei aqui. Essa fico devendo! Abraços

    ResponderExcluir