segunda-feira, 25 de outubro de 2010

As moiras

Na Antiguidade os gregos consideravam que cabia às moiras tecer o destino e cortar o fio da vida quando necessário. As moiras era representadas por três irmãs: Cloto, Laquesis e Antropos. Consideradas filhas da noite e governantas do destino dos seres humanos; elas teciam o fio da vida sem que ninguém pudesse interrompê-las nessa tarefa. Cloto, a mais jovem, fiava a teia do destino humano; Laquesis era a encarregada de colocar o fio no fuso, determinando a sua longitude; e, Antropos, a mais velha, cercava-se de vários fios pequenos e longos conforme a duração da vida de cada mortal. Tinha ela a triste missão de cortar o fio da vida dos mortais. Os gregos prestavam grandes homenagens a elas por temê-las como símbolo do fatalismo. A morte, então, não dependia do homem, mas sim das moiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário