terça-feira, 24 de agosto de 2010

Pais, filhos e a sociedade

A construção do desenvolvimento infantil até a juventude passa pelo modelo familiar. No entanto, é cada vez mais comum, os pais delegarem às escolas a educação dos filhos.

Sabemos que a escola entre outras funções, é o ambiente de socialização e desenvolvimento do pensamento crítico. Ajudando a convivência com mundos diferentes.

Algumas crianças desde cedo realizam “brincadeiras” de fazer “experiências” em insetos, pequenos maus tratos de animais, destroem seus brinquedos e a família justifica tais atos como demonstração de interesse pelo mundo, ciência, agitação; quando na verdade, são sinais de perversidade.

Quando se dá então o limite? Dizer “não” ao filho é o que de mais verdadeiro os pais podem fazer. Explicar o porquê de não se poder realizar certas coisas é a construção da ética e moral do futuro jovem.

Ceder ao filho é sempre a opção mais rápida, ainda mais na configuração familiar atual. Não podemos esquecer que os pais ao educarem seus filhos formam cidadãos, com senso de justiça e responsabilidade social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário