domingo, 15 de agosto de 2010

Os jovens e o álcool em São Paulo

Pesquisa de 2010 da Unifesp em escolas privadas de São Paulo aponta que:

- 40% dos estudantes haviam bebido no mês anterior à pesquisa;

- 46% dizem que o primeiro consumo de álcool ocorreu em casa;

- O álcool é também a droga que começa a ser consumida mais cedo, com média de idade de 12,5 anos;

- No ensino médio, 33% dos alunos consumiram álcool no padrão conhecido como binge drinking;

- Outros fatores de risco para o comportamento binge, segundo a pesquisa, foram o sexo (o risco aumenta em 70% entre os meninos), idade (50% para cada ano a mais), pais separados (30% mais risco), não confiar em Deus (40%) e não conversar com os pais (60%);

- A condição socioeconômica também influencia: o risco é duas vezes maior entre os alunos das escolas com mensalidade acima de R$ 1,2 mil;

Nota:

  1. O comportamento binge se caracteriza pelo consumo, na mesma ocasião, de cinco ou mais doses de 14 gramas de etanol – valor correspondente a cinco latas de cerveja (ou copos de vinho ou doses de bebida destilada);
  2. “O estudo revelou padrões de consumo que merecem atenção entre os estudantes da rede particular, em especial em relação ao álcool. Um terço dos alunos do ensino médio relatou prática de binge drinking no mês anterior ao estudo, o que é uma porcentagem extremamente elevada. Esse comportamento traz alto risco, pois o adolescente embriagado fica em situação de vulnerabilidade em vários aspectos da vida, favorecendo brigas, acidentes de trânsito e sexo desprotegido, por exemplo”, disse Ana Regina à Agência FAPESP.
  3. Lembrar que o álcool se liga ao receptor Gaba no cérebro causando um efeito sedativo. Após esse relaxamento passa a euforia e depois depressão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário