segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O Rio do Meio e nossas escolhas

Inspirado no livro de Lya Luft “O Rio do Meio” escrevo sobre homens, seus sonhos e escolhas. No livro a autora nos fala sobre amizade, amor, família e relacionamentos. Fico com a seguinte pergunta: Como atravessar o rio em busca dos nossos sonhos?
Falando sobre objetivos nós falamos sobre sonhos. O sentido nasce do sonho, mas ao mesmo tempo o sonho também morre. Ele morre quando não se realiza (não tem mais tempo para acontecer) ou quando se realiza (se torna real e então perde a propriedade). A criança aprenderá que o homem é um contador de histórias e que nós somos as realizações de nossas histórias.
É possível também pensar a respeito de nossas escolhas. Somos evocados todos os dias a escolhermos coisas simples: cor de uma roupa, prato do almoço, horário do cinema; e dessa ‘simplicidade’ adquirimos nossas falsas certezas a respeito da escolha profissional, do emprego, do relacionamento, e de alguns comportamentos.
Sempre uso a velha imagem de uma ponte que liga o ponto A ao ponto B. Se estivermos no ponto A, o que nos move a atravessar a ponte? Como enfrentar o inesperado, o medo e a incerteza para irmos ao lado B? Por que então optaríamos pelo obscuro e desconhecido B? Pense o quanto vocês atravessam as “pontes” de suas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário