quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Bullying (parte 2)

O Bullying acontece em todas as classes sociais e é mais comum no ambiente escolar. A intimidação do outro é mais agressiva na adolescência, mas é muito comum na infância também. Os meninos tendem a ser mais violentos e as meninas agem mais na intriga e dissimulação.
Já falamos que muitas famílias delegam à escola a educação de seus filhos. E com isso, é comum que a família do agressor menospreze a reclamação da vítima. Pois, agem como se o filho agressor fosse forte, líder, carismático, popular; enquanto o outro é fraco, tímido. Dificilmente a família procura ajuda ao filho agressor, pois não os vêem como problema.
A sociedade privilegia o “vilão”. Basta acompanhar a repercussão dos personagens “vilões” em novelas, são sempre os mais populares nas ruas e muitos atores inclusive, aumentam suas participações em comerciais se fizerem “vilões” populares.
Funcionários das escolas como inspetores, cantineiros além dos professores são quem, em muitos casos, notam as intimidações feitas por um indivíduo ou grupo a um aluno.
Algumas cidades como Porto Alegre e Curitiba incluem o Bullying como agressão. A responsabilidade é de todos. Bullying só diminuirá quando deixar de ser tabu e for encarado como algo real.

Nenhum comentário:

Postar um comentário